Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

A família cristã rejeita a exma. sra. Rousseff

Postado em 08-12-2015

Pe. João Batista de A. Prado Ferraz Costa

Ordem e Justiça: Fora o Partido dos CorruPTos

A Exma. Sra. Rousseff deve ser afastada da Presidência da República por gravíssimos delitos cometidos contra a Nação Brasileira. Entre outros enumerem-se:

  1. Conivência com os desmandos perpetrados na direção da Petrobrás.
  2. Vitória nas últimas eleições mediante a prática da mentira e do engano, escondendo da imensa maioria dos eleitores menos informados a real situação econômica do Brasil.
  3. A gravíssima suspeita de que se beneficiou do esquema de corrupção nas estatais para financiamento de sua campanha eleitoral.
  4. A séria suspeita de fraude nas urnas eletrônicas, visto que o sistema não permite auditoria.
  5. A desorganização das finanças públicas por meio das chamadas pedaladas fiscais, assim como da irresponsável política dos benefícios fiscais.
  6. Um empenho diabólico em espezinhar e demolir os valores cristãos da sociedade brasileira.
  7. Submissão da política externa brasileira ao falido Mercosul com enormes prejuízos à indústria brasileira, bem como à ideologia bolivariana e ao narcotráfico.

 

Na minha opinião, o mal menor, no momento, é que o vice-presidente da República, o jurista Michel Temer, assuma a presidência da República e nomeie como ministro da Fazenda o economista José Serra, assessorado por outros economistas responsáveis pelo Plano Real e salvem a nossa moeda, patrimônio precioso das famílias mais pobres, do aviltamento inflacionário.

Na conjuntura atual, não cabe discutir se o sr. Michel Temer é ou não satanista da “Bucha”. Na República Velha, período em que a família brasileira gozou da prosperidade da política café com leite e a Igreja gozou de liberdade e respeito, muitos presidentes da República foram “bucheiros” do Largo de São Francisco.

Que a Virgem Imaculada, Rainha e Padroeira do Brasil, nos valha neste momento trágico da história nacional.

Anápolis, 8 de dezembro de 2015.

Festa da Imaculada Conceição.