Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

A humilhação da Colômbia, uma lição para todos nós

Postado em 15-10-2015

Pe. João Batista de A. Prado Ferraz Costa

Quem ama a Hispano-América, outrora o Continente da esperança herdeiro das tradições da Contra-Reforma e da cultura barroca, não pode estar insensível diante das últimas notícias que nos chegam da Colômbia.

Realmente, entre as calamidades dos nossos dias sobressai a humilhação do país irmão que nos serve de advertência. As últimas notícias sobre os resultados dos diálogos em vista de um “acordo de paz” entre o governo de Bogotá e os criminosos comunistas do narcotráfico realizados em Havana informam que o referido acordo deverá culminar com uma reforma constitucional.

A serem verdadeiras essas notícias, não há outra conclusão que se possa tirar dos fatos senão que desapareceu completamente da mente dos líderes políticos modernos qualquer noção de justiça, prudência e dignidade. Com efeito, as notícias dizem que, além da reforma constitucional, está prevista uma anistia não só dos crimes “políticos” (o narcotráfico a serviço da revolução marxista na América!) mas outrossim dos crimes conexos (por exemplo, o porte ilegal de armas e o seu contrabando a serviço da mesma revolução!).

Estão patentes as consequências de tamanha impunidade, ou melhor, de tão grande prêmio e galardão conferidos a  bandidos agora tratados como “políticos”. Que se pode esperar de uma sociedade governada por tais “políticos” senão que somente os homens de bem serão perseguidos como intolerantes e reacionários porque querem que haja justiça e o crime seja devidamente reprimido e os traficantes condenados até à pena capital se assim o exigir o bem comum e a segurança do Estado? Mas não será apenas a perseguição dos homens de bem e a marginalização das boas famílias, toda a juventude da nação ficará ainda mais vulnerável a total corrupção moral vendo os bandidos elevados a categoria de lideranças sociais convidadas a participar de uma arena política. Ademais, que autoridade moral tem Havana para servir de árbitro de um conflito sócio-político? Sabe-se que figuras notáveis da chamada social democracia sul-americana estão por detrás promovendo esse conchavo entre “políticos” e traficantes travestidos em heróis da guerrilha marxista, como os senhores FHC e Ricardo Lagos do Chile. Desejaria saber se o bispo de Roma também não terá dado sua contribuição.

O exemplo deplorável da Colômbia vem comprovar uma lição da história da civilização: quando uma sociedade inteira se corrompe em praticamente todas suas instituições, para ela não haverá mais remédio a ser-lhe aplicado dentro da legalidade. No caso da Colômbia, bem como no do Brasil, não podemos esperar mais uma “saída” dentro da “lei”, ou uma reforma política (e/ou) constitucional segundo os princípios do direito político moderno ou as lições de ilustres constitucionalistas. A democracia produziu todos os seus frutos podres, levou a sociedade à beira da morte. De modo que, se não houver uma reação ao veneno da democracia, a nação morrerá literalmente.

O que nos resta (e para isso devemos preparar-nos) é o acirramento da crise, a confusão geral, enfim, o caos. Será o preço a ser pago, o castigo merecido. Se rezarmos e fizermos penitência, poderemos, quem sabe, obter da Divina Misericórdia a graça de nos enviar um homem providencial que nos liberte de tais misérias como as da Colômbia e as do “feminismo político” do Brasil e da Argentina, varra do cenário político essas mulheres mal-amadas, horrorosas, infelizes e ineptas que só chegaram ao poder porque realmente vivemos num deserto de homens que não querem mais ser pais, chefes de família e governantes de suas nações. É por causa dessa subversão total que emergem essas tipas Cristina Kirchner e Rousseff e um país, tão nobre como a Colômbia, chega à desagregação. Em outros tempos, quando havia ordem, essas damas ocupariam o seu devido dentro da sociedade, desempenhariam suas funções, poderiam ser úteis às suas famílias, mas jamais seriam guindadas a um cargo para o qual têm nenhuma qualificação e competência.

Gloriosa Santa Teresa de Jesus, em vossa festa, rogo-vos que impetreis do Divino Rei a graça de restaurar nossas famílias suscitando nelas o espírito de fé, o amor das virtudes e da ordem social cristã, a fim de que venhamos a ter no futuro homens de escol, uma autêntica aristocracia católica que expurgue do nosso meio toda sordidez da democracia moderna, esse terrível embuste satânico urdido nas lojas da judeu-maçonaria inimiga da Santa Igreja.

Anápolis, 15 de outubro de 2015.

Festa da Gloriosa Santa Teresa de Jesus.