Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Questão 1: Do fim último em comum.

Deve-se tratar aqui primeiro, do fim último da vida humana. Em seguida, dos meios pelos quais o homem pode alcançar esse fim ou dele desviar-se; pois, é do fim que se deduz a natureza daquilo que se a ele ordena.

Ora, como se admite que o fim último da vida humana é a beatitude, necessário é, em primeiro lugar, tratar do fim último, em comum, e depois, da beatitude.

Sobre o primeiro ponto oito artigos se discutem:

Art. 1 — Se convém ao homem agir para um fim.
Art. 2 — Se agir para um fim é próprio da natureza racional.
Art. 3 — Se os atos humanos não são especificados pelo fim.
Art. 4 — Se há um fim último da vida humana, ou se, nos fins, se deve proceder ao infinito.
Art. 5 — Se é possível à vontade de um mesmo homem buscar simultaneamente vários fins últimos.
Art. 6 — Se tudo o que o homem quer é por causa do fim último.
Art. 7 — Se há um só fim último para todos os homens.
Art. 8 — Se todos os outros seres têm o mesmo fim último do homem.