Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Tratado da lei

Devemos, conseqüentemente, tratar dos princípios exteriores dos atos. Ora, o princípio externo, que inclina para o mal, é o diabo, de cuja tentação já tratamos na Primeira Parte. E o princípio externo, que move para o bem, é Deus, que nos instrui pela lei e nos ajuda pela graça.

Por onde, devemos tratar, primeiro, da lei e, segundo, da graça.

Ora, quanto à lei, devemos considerá-la, primeiro, em geral. Segundo, nas suas partes.

E, sobre a lei, em geral, há tríplice conside­ração a fazer. A primeira é sobre a essência dela. A segunda, sobre a diferença entre as leis. A terceira, sobre os efeitos da lei.

Questão 90: Essência da lei
Questão 91: Da diversidade das leis.
Questão 92: Dos efeitos da lei.
Questão 93: Da lei eterna.
Questão 94: Da lei natural.
Questão 95: Da Lei humana
Questão 96: Do poder da lei humana.
Questão 97: Da mudança das leis.
Questão 98: Da lei antiga.
Questão 99: Dos preceitos da lei antiga.
Questão 100: Dos preceitos morais da lei antiga.
Questão 101: Dos preceitos cerimoniais em si mesmos.
Questão 102: Das causas dos preceitos cerimoniais.
Questão 103: Da duração dos preceitos cerimoniais.
Questão 104: Dos preceitos judiciais.
Questão 105: Da razão de ser dos preceitos judiciais.
Questão 106: Da lei do Evangelho, chamada nova, em si mesma considerada.
Questão 107: Da comparação entre a lei nova e a antiga.
Questão 108: Do conteúdo da lei nova.