Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Questão 19: Da vontade de Deus.

Depois de termos tratado do que pertence à ciência divina, devemos tratar do pertencente à vontade divina. De modo que o primeiro tratado será sobre a vontade mesma de Deus; o segundo sobre o que pertence à vontade, em absoluto; o terceiro sobre o que pertence ao intelecto, em relação com a vontade.

Sobre a vontade, em si mesma, discutem-se doze artigos:

Art. 1 — Se Deus tem vontade.
Art. 2 — Se Deus quer coisas diversas de si.
Art. 3 — Se Deus quer necessariamente tudo o que quer.
Art. 4 — Se a vontade de Deus é a causa das coisas.
Art. 5 — Se se pode determinar alguma causa à vontade divina.
Art. 6 — Se a vontade de Deus sempre se cumpre.
Art. 7 — Se a vontade de Deus é mutável.
Art. 8 — Se a vontade de Deus impõe necessidade às coisas queridas.
Art. 9 — Se Deus quer o mal.
Art. 10 — Se Deus tem livre arbítrio.
Art. 11 — Se devemos distinguir em Deus a vontade que se manifesta por um sinal.
Art. 12 — Se se distinguem convenientemente cinco sinais da vontade divina, a saber: a proibição, o preceito, o conselho, a operação e a permissão.