Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Artigo 4 – Se o escândalo é pecado mortal.

[ ]

O quarto discute-se assim. – Parece que o escândalo é pecado mortal.

1. – Pois, todo pecado, que contraria a caridade, é mortal; como já se disse. Ora, o escândalo contraria à caridade, consoante ficou estabelecido. Logo, o escândalo é pecado mortal.

2. Demais. – A nenhum pecado, salvo ao mortal, é devida a pena da danação eterna. Ora, ao escândalo é devida a pena da danação eterna, conforme a Escritura: O que escandalizar a um destes pequeninos, que crêm em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de atafona e que o lançassem no fundo do mar. Porque, como diz Jerônimo a este lugar, muito melhor é, pela culpa, receber uma pena passageira, do que ser reservado para sofrimentos eternos. Logo, o escândalo é pecado mortal.

3. Demais. – Todo pecado cometido contra Deus é mortal, pois só o pecado mortal afasta o homem de Deus. Ora, o escândalo é um pecado contra Deus, pois diz o Apóstolo: Ferindo a débil consciência dos irmãos, pecais contra Cristo. Logo, o escândalo é sempre pecado mortal.

Mas, em contrário. – Induzir alguém a pecar venialmente pode ser pecado venial. Ora, isto está incluído em a natureza do escândalo. Logo, o escândalo pode ser pecado venial.

SOLUÇÃO. – Como já dissemos o escândalo implica um tropeço, que dispõe para a queda. Por onde, o escândalo passivo pode certo, ser às vezes, pecado venial, por implicar somente o tropeço. Por exemplo, quando alguém, por ocasião de um dito ou ato desregrados de outrem é levado a cometer um pecado venial. Outras vezes, porém, é pecado mortal, quando implica, por assim dizer, o tropeço e a queda; por exemplo, quando alguém, por um dito ou um ato desordenados de outrem vai até o pecado mortal.

Quanto ao escândalo ativo, se for acidental, pode, certo, ser às vezes pecado venial; por exemplo, quando alguém comete ou um ato de pecado venial, ou um ato que, não sendo em si mesmo pecado, tem contudo alguma aparência de mal e é praticado com leve indiscernimento. As vezes, porém, é pecado mortal, ou porque cometemos um ato de pecado mortal, ou porque menosprezamos a salvação do próximo, não querendo, para não comprometê-la, deixar de praticar um ato que nos aprazo – Se, porém, se trata de um escândalo ativo, propriamente dito, por exemplo, quando alguém tem a intenção de induzir outrem a pecar, se for a pecar mortalmente, o pecado será mortal; e o mesmo se dará se intencionar induzi-lo, por um ato de pecado mortal, a pecar venialmente. Haverá, porém, pecado venial se tentar induzir, por um ato de pecado venial, o próximo o pecar venialmente.

Donde se deduzem claras as RESPOSTAS ÀS OBJEÇÕES.