Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Artigo 4 – Se a sabedoria pode existir sem a graça e coexistir com pecado mortal.

[ ]

O quarto discute-se assim. – Parece que a sabedoria pode existir sem a graça e coexistir com o pecado mortal.

1. – Pois, os santos glorificam-se sobretudo do que não se pode obter sem pecado mortal, conforme a Escritura da nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência. Ora, ninguém deve gloriar-se da sua sabedoria, segundo aquilo da Escritura: Não se glorie o sábio no seu saber. Logo, a sabedoria pode existir sem a graça e coexistir com o pecado mortal.

2. Demais. – A sabedoria implica o conhecimento das verdades divinas, como se disse. Ora, certos podem, em estado de pecado mortal, ter conhecimento da verdade divina, segundo aquilo da Escritura. Retêm na injustiça a verdade de Deus. Logo, a sabedoria pode coexistir com o pecado mortal.

3. Demais. – Agostinho diz falando da caridade: Nenhum é mais excelente que este dom de Deus; é o único que separa os filhos do reino eterno dos da eterna perdição. Ora, a sabedoria difere da caridade. Logo, não separa os filhos do reino dos da perdição. Portanto pode coexistir com o pecado mortal.

Mas, em contrário, a Escritura: Na alma maligna não entrará a sabedoria, nem habitará no corpo sujeito a pecados.

SOLUÇÃO. – A sabedoria, como dom do Espírito Santo, produz, segundo dissemos, a retidão do juízo sobre as coisas divinas; ou sobre as outras coisas, mediante regras divinas, por uma certa conaturalidade ou união com as divinas verdades, a qual é produzida pela caridade, como se disse. Por onde, a sabedoria, de que falamos, pressupõe a caridade. Ora, a caridade não pode coexistir com o pecado mortal, como do sobredito se colhe. Donde se conclui que a sabedoria, de que tratamos, não pode coexistir com o pecado mortal.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. –­ O lugar citado deve entender-se da sabedoria relativa às coisas do mundo, ou ainda da concernente às coisas divinas, mas mediante razões humanas. Ora, de tal não se gloriam os santos, mas confessam não tê-la, conforme a Escritura: A sabedoria dos homens não está comigo. Pelo contrário, gloriam-se da sabedoria divina, segundo aquilo do Apóstolo: O qual nos tem sido jeito por Deus sabedoria.

RESPOSTA À SEGUNDA. – A objeção colhe relativamente ao conhecimento das verdades divinas, que alcançamos pelo estudo e pela indagação racional, que pode coexistir com o pecado mortal; não porém a sabedoria de que tratamos.

RESPOSTA À TERCEIRA. – A sabedoria, embora difira da caridade, contudo pressupõe-na; e por isso mesmo separa os filhos da perdição dos do reino.