Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Artigo 3 – Se a cegueira da mente e o embotamento do sentido não nascem dos vícios carnais.

O terceiro discute-se assim. – Parece que a cegueira da mente e o embotamento do sentido não nascem de vícios carnais.

1 – Pois, Agostinho retratando-se do que escrevera: – Deus, que só aos puros permitiste conhecer a verdade – diz: pode-se responder que muitos, embora imundos, podem conhecer muitas verdades. Ora, os vícios carnais é que nos tornam imundos. Logo, a cegueira da mente e o embotamento do sentido não são causados pelos vícios carnais.

2. Demais. – A cegueira da mente e o embotamento do sentido são defeitos da parte intelectiva da alma, ao passo que os vícios carnais vêm da corrupção da carne. Ora, a carne não age sobre a alma, mas antes, ao contrário. Logo, os vícios carnais não causam a cegueira da mente e o embotamento do sentido.

3. Demais. – Um ser sofre mais fortemente a ação de um agente próximo do que de um afastado. Ora, mais próximos da mente são os vícios espirituais, que os carnais. Logo, a cegueira da mente e o embotamento do sentido são causados, mais, pelos vícios espirituais que pelos carnais.

Mas, em contrário, diz Gregório, que o embotamento do sentido intelectual nasce da gula; e a cegueira da mente, da luxúria.

SOLUÇÃO. – A perfeição da operação intelectual do homem vem da abstração dos fantasmas sensíveis. Por onde, quanto mais o seu intelecto se libertar desses fantasmas, tanto mais poderá penetrar o inteligível e ordenar todos os sensíveis. Por isso, Anaxágoras diz, que há de o intelecto ser puro, para imperar; e há de o agente dominar a matéria para poder movê-la, como diz o Filósofo. Ora, é manifesto que o prazer concentra-se no objeto com que nos deleitamos. Donde o dizer o Filósofo, que cada um faz otimamente aquilo em que se compraz e de nenhum modo, ou debilmente, o que lhe é contrário. Ora, os vícios carnais – a gula e a luxúria – consistem nos prazeres do tacto, isto é, nos da mesa e nos venéreos, os veementíssimos de todos os prazeres corpóreos. Por isso, esses vícios levam o homem a concentrar o seu afeto sobretudo nas coisas corpóreas, o que, por consequência, lhe debilita a atividade intelectual. Tanto mais, porém, a debilita a luxúria do que a gula, quanto mais os prazeres venéreos são de veemência superior aos da mesa. Por isso, da luxúria nasce a cegueira da mente, que exclui quase totalmente o conhecimento dos bens espirituais; e da gula, o embotamento do sentido, que torna o homem fraco para apreender esses inteligíveis. E inversamente, as virtudes opostas – a abstinência e a castidade – dispõem o homem soberanamente para a perfeição da atividade intelectual. Donde o dizer a Escritura Deus deu a estes meninos, isto é, aos abstinentes, a ciência e o conhecimento de todos os livros e de toda a sabedoria.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. –­ Os que se entregam aos vícios carnais podem, por vezes, especular subtilmente sobre certos inteligíveis, por causa da agudeza do engenho natural ou de um hábito adquirido. Mas necessária e frequentemente, a tendência deles há se de desviar dessa contemplação, pelos prazeres corpóreos. Por onde, os imundos, embora possam conhecer certas verdades, a imundície os impede.

RESPOSTA À SEGUNDA. – A carne não age sobre a parte intelectiva, alterando-a; mas impedindo-lhe a operação, da maneira supradita.

RESPOSTA À TERCEIRA. – Quanto mais contrários à mente forem os vícios carnais, tanto mais profundamente lhe perturbam as tendências. E portanto, tanto mais lhe impedem a contemplação.