Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Artigo 1 – Se a lei antiga devia estabelecer preceitos relativos à crença.

O primeiro discute-se assim. – Parece que a lei antiga devia estabelecer preceitos relativos à crença.

1. – Pois, um preceito é relativo ao que é devido e necessário. Ora, sobretudo é necessário ao homem crer, conforme aquilo da Escritura: sem fé é impossível agradar a Deus. Logo, era muito necessário dar preceitos sobre a fé.

2. Demais. – O Novo Testamento está contido no Velho, como o figurado, na figura, segundo já se viu. Ora, o Novo Testamento estabelece expressamente mandamentos sobre a fé, como se vê claro pelo lugar seguinte: Credes em Deus, crede também a mim. Logo, a Lei Antiga devia também dai preceitos sobre a fé.

3. Demais. – Pela mesma razão por que se ordena um ato de virtude, proíbem-se os vícios opostos. Ora, a Lei Antiga estabelece muitos preceitos que proíbem a infidelidade, como, por exemplo: Não terás deuses estrangeiros diante de mim. E noutro lugar manda que os judeus não ouçam as palavras de profeta, ou de sonhador que os queira desviar da fidelidade a Deus. Logo, a Lei Antiga também devia dar preceitos sobre a fé.

4. Demais. – A confissão é um ato de fé, como se disse. Ora, a Lei Antiga dá preceitos sobre a confissão e a promulgação dos artigos da fé. Assim, manda que, os judeus deem aos filhos que interrogarem, a razão da observância pascal; que seja morto quem disseminar doutrinas contra a fé. Logo, a Lei Antiga devia conter preceitos de fé.

5. Demais. – Todos os livros do Antigo Testamento estão contidos na Lei Antiga. Por isso, o Senhor diz que está escrito na Lei: Com ódio injusto me tem em aborrecimento; o que está de fato na Escritura. Ora, na mesma se diz. Vós os que temeis ao Senhor, crede-o. Logo, a Lei Antiga deu preceitos sobre a fé.

Mas, em contrário, o Apóstolo chama à Lei Antiga Lei das obras, e a divide, por oposição, da Lei da fé. Logo, a Lei Antiga não deu preceitos sobre a fé.

SOLUÇÃO. – Só para os seus súditos é que um senhor dá leis; por onde, os preceitos de qualquer lei pressupõem a sujeição de quem recebe a quem dá. Ora, o homem está sujeito a Deus, primeiramente, pela fé, conforme aquilo da Escritura. É necessário que o que se chega a Deus creia que há Deus, Logo, os preceitos da lei pressupõem a fé. E por isso que é de fé vem antes, dos preceitos da Lei, segundo está dito: Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito; e, semelhantemente outro lugar diz primeiro: Ouve, ó Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor; e logo em seguida começa a dar os preceitos. Ora, a fé contém muitos ensinamentos ordenados à crença em Deus, em quem devemos acima de tudo crer, primária e principalmente, conforme já dissemos Por onde, pressuposta a fé em Deus, pela qual a nossa mente se lhe sujeita, podem ser dados preceitos sobre as outras matérias de fé. Assim, Agostinho diz que muitos mandamentos nos foram dados sobre a fé, explicando aquele lugar: Ele é o meu mandamento. Mas no regime da Lei Antiga as verdades ocultas da fé não deviam ser reveladas ao povo. Por isso, suposta a fé num Deus único, a Lei Antiga não estabeleceu mais nenhum preceito sobre o que se devia crer.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. –­ E a fé necessária, como princípio da vida espiritual. Por isso, deve ser pressuposta ao recebimento da Lei.

RESPOSTA À SEGUNDA. – No lugar citado também o Senhor pressupõe algo da fé, a saber, a crença em um só Deus, quando diz – Credes em Deus: mas ordena ainda que se tenha fé na encarnação, pela qual um mesmo Deus é homem; fé que se tomou explícita pela do Novo Testamento. Por isso acrescenta: Crede também a mim.

RESPOSTA À TERCEIRA. – Os preceitos proibitivos dizem respeito aos pecados, que corrompem a virtude. Ora esta se corrompe por defeitos particulares como já dissemos. Por onde, pressuposta a fé num Deus único, a Lei Antiga estabeleceu preceitos proibitivos para afastar os homens desses defeitos particulares, que poderiam corromper a fé.

RESPOSTA À QUARTA. – Mesmo a confissão ou a doutrina da fé pressupõe, por esta, o homem sujeito a Deus. Por isso foi possível à Lei Antiga estabelecer preceitos relativos, antes, à confissão ou à doutrina da fé, do que a esta em si mesma.

RESPOSTA À QUINTA. – Também o lugar aduzido pressupõe a fé, pela qual cremos na existência de Deus. Por isso, o texto começa dizendo – Vós, os que temeis o Senhor – o que não poderia ser sem a fé. E o que se segue ­ crede-o – refere-se a certas e especiais verdades da fé e sobretudo à promessa de Deus aos que lhe obedecerem. Por isso, acrescenta: E não vos faltará a vossa recompensa.