Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Questão 67: Da injustiça do juiz no julgar.

[ ]

Em seguida devemos tratar dos vícios opostos à justiça comutativa, consistentes em palavras pelas quais lesamos o próximo. E primeiro, do que diz respeito ao juízo. Segundo, dos danos por palavras causadas fora do juízo.

O primeiro ponto cinco questões ocorrem a serem consideradas. Primeiro, da injustiça do juiz no julgar. Segundo, da injustiça do acusador no acusar. Terceiro, da injustiça do réu no defender­se. Quarto, da injustiça da testemunha no testemunhar. Quinto, da injustiça do advogado, no patrocinar.

Na primeira questão discutem-se quatro artigos:

Artigo 1 – Se podemos julgar justamente quem de nós não depende.
Artigo 2 – Se ao juiz é lícito julgar contra a verdade que conhece, fundado no que lhe propõem, em contrário.
Artigo 3 – Se o juiz pode julgar mesmo quem não tem nenhum acusador.
Artigo 4 – Se o juiz pode licitamente relaxar a pena.