Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 6 – Se a ira deve ser contada entre os vícios capitais.

O sexto discute–se assim. – Parece que a ira não deve ser contada entre os vícios capitais.

1. – Pois, a ira nasce da tristeza. Ora, a tristeza é o vício capital chamado acédia. Logo, a ira não deve ser considerada vício capital.

2. Demais. – O ódio é um pecado mais grave que a ira. Logo, mais que ela, deve ser considerado vício capital.

3. Demais. – Aquilo da Escritura – O homem iracundo excita a rixas – diz a Glosa: A iracúndia é a porta de todos os vícios; fechada, todas as virtudes se vos repousam, no interior; aberta, a alma se vos precipitará em todos os crimes. Ora, nenhum vício capital é princípio de todos os pecados, mas, só de certos determinadamente. Logo, a ira não deve ser contada entre os vícios capitais.

Mas, em contrário, Gregório a coloca entre os vícios capitais.

SOLUÇÃO. – Como do sobre dito resulta, chama–se vício capital o que dá origem a muitos outros. Ora, da ira podem nascer muitos vícios, por duas razões. – Primeiro por ter o seu objeto muito desejável, pois, a vindicta é desejada sob a forma de justo ou honesto, o que nos atrai, pela sua dignidade, como dissemos. ­ Depois, pelo ímpeto com que precipita a alma a praticar toda sorte de atos desordenados. ­ Por onde, é claro que a ira é um vício capital.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. ­– À tristeza de que geralmente nasce a ira não é o vício da acédia, mas, a paixão da tristeza, resultante da injúria feita.

RESPOSTA À SEGUNDA. – Como do sobre dito resulta, o vicio capital, por essência, implica um fim muito desejável, de modo que o desejo dele leva à comissão de muitos pecados. Ora, a ira, que deseja o mal sob a forma de bem, tem um fim mais desejável que o ódio, que deseja o mal sob a forma do mal. Logo, a ira é, mais que o ódio, vício capital.

RESPOSTA À TERCEIRA. – Chama–se à ira porta de todos os vícios, acidentalmente, isto é, pela remoção do obstáculo, a saber, o impedimento posto ao juízo da razão, o qual juízo nos leva a evitar o mal. Mas, diretamente e por si, ela é a causa de certos pecados especiais, que se chamam as filhas dela.