Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 1 — Se devia Cristo ser batizado.

O primeiro discute-se assim. — Parece que não devia Cristo ser batizado.

1. — Pois, o batismo é uma ablução. Ora, desta não precisava Cristo, isento de qualquer impureza. Logo, parece que Cristo não devia ser batizado.

2. Demais. — Cristo recebeu a circuncisão para cumprir a lei. Ora, o batismo não era exigido pela lei. Logo, não devia ser batizado.

3. Demais. — Em qualquer gênero de movimento o primeiro motor é imóvel; assim o céu, a causa primeira da alteração, não é susceptível de ser alterado. Ora, Cristo foi o primeiro que batizou, segundo àquilo do Evangelho: Aquele sobre que tu vires descer o Espírito Santo e repousar sobre ele, esse é o que batiza. Logo, não convinha ele próprio ser batizado. Mas, em contrário, o Evangelho diz, que veio Jesus de Galileia ao Jordão ter com João para ser batizado por ele.

SOLUÇÃO. — Cristo devia ser batizado. – Primeiro, porque, como diz Ambrósio, o Senhor foi batizado, não por querer purificar-se; mas para purificar as águas que, purificadas assim pelo corpo de Cristo, isento de pecado, pudessem servir para o batismo e a fim de deixar para o futuro as águas santificadas para os que devessem ser batizados, como ensina Crisóstomo. Segundo, porque, como diz Crisóstomo, embora Cristo não fosse pecador, contudo assumiu uma natureza pecadora e a semelhança da carne do pecado. Por onde, embora não precisasse ele próprio de batismo, contudo deste precisava a natureza carnal dos outros. E como diz Gregório Nazíanzeno, Cristo foi batizado, para imergir na água todo o velho Adão. – Terceiro, quis ser batizado Cristo, porque como diz Agostinho, quis fazer o que ordenou a todos fazerem. Tal o que significam as suas próprias palavras: Assim nos convém cumprir toda a justiça. Pois, como diz Ambrósio, a justiça exige que comecemos por fazer o que queremos que os outros façam e exortemos os outros a nos imitarem pelo nosso exemplo.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. — Cristo não foi batizado para abluir-se, mas para abluir, como dissemos.

RESPOSTA À SEGUNDA. — Cristo não só devia cumprir os preceitos da lei antiga: mas ainda dar início aos da nova. Por isso, não somente quis circuncidar-se, mas também batizar-se.

RESPOSTA À TERCEIRA. — Cristo foi o primeiro que conferiu o batismo espiritual. E assim, não foi batizado senão só em água.