Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 4 — Se Cristo devia ter sido batizado no Jordão.

O quarto discute-se assim. — Parece que Cristo não devia ser batizado no Jordão.

1. — Pois, a verdade deve realizar o que a figurava. Ora, figura do batismo foi a passagem do Mar Roxo, onde os Egípcios ficaram submersos, assim como os pecados são delidos pelo batismo. Logo, parece que Cristo devia ter sido batizado, antes, no mar que no rio Jordão.

2. Demais. — Jordão significa descenço. Ora, pelo batismo nós antes ascendemos que descemos; donde o dizer o Evangelho que depois que Jesus foi batizado, saiu logo para fora da água. Logo, parece ter sido inconveniente o batismo de Cristo no Jordão.

3. Demais. — Tendo passado os filhos de Israel, as águas do Jordão tornaram à sua madre, como se lê na Escritura. Ora, os batizados, longe de retrogredirem, marcham para a frente. Logo, não parece ter sido conveniente o batismo de Cristo no Jordão.

Mas, em contrário, o Evangelho: Jesus foi batizado por João no Jordão,

SOLUÇÃO. — Pelo rio Jordão é que os filhos de Israel entraram na terra da promissão. Ora, o bati o de Cristo tem isto de especial sobre os demais batismos, que introduz no reino de Deus, simbolizado pela terra da promissão. Donde o dizer a Escritura: Quem não renascer da água e do Espírito Santo não pode entrar no reino de Deus. Ao que também se refere o fato de ter Elias dividido as águas do Jordão, quando foi arrebatado do céu num carro de fogo, segundo lemos na Escritura; assim também aos que passam pela água do batismo se lhes torna patente a entrada do céu pelo fogo do Espírito Santo. Logo foi conveniente que Cristo tivesse sido batizado no Jordão.

DONDE A RESPOSTA ÀPRIMEIRA OBJEÇÃO. – O trânsito do Mar Roxo prefigurou o batismo, quanto ao delir os pecados, causado pelo batismo. Mas o trânsito do Jordão, quanto ao abrir as portas do reino celeste, que é o mais principal efeito do batismo, causado só por Cristo. Logo, foi conveniente que Cristo tivesse sido batizado no Jordão e não no mar.

RESPOSTA À SEGUNDA. — O batismo é uma ascensão pelo progresso na graça; pois, exige o descenço da humildade, segundo aquilo da Escritura: Aos humildes dá a graça. E a esse descenço é que deve ser referido o nome de Jordão.

RESPOSTA À TERCEIRA. — Como diz Agostinho, assim como antes as águas do Jordão retrocederam, assim também o batismo de Cristo faz retrocederem os pecados. – Ou ainda, esse descenço das águas significava que, contrariamente a ele, o rio das bênçãos cresceria para o alto.