Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 6 — Se o caráter da confirmação pressupõe necessàriamente o caráter do batismo.

O sexto discute-se assim. — Parece que o caráter da confirmação não pressupõe necessà­riamente o caráter batismal.

1. — Pois, o sacramento da confirmação se ordena à confissão pública da fé de Cristo. Mas muitos mesmo antes do batismo, confessaram publicamente a fé de Cristo, derramando o san­gue pela fé. Logo, o caráter da confirmação não pressupõe o caráter batismal.

2. Demais. — Não se lê dos Apóstolos, que fossem batizados; sobretudo que o Evangelho diz que o Cristo não batizava ele próprio, mas sim os seus discípulos. E contudo, foram depois confirmados pelo advento do Espírito Santo. Logo e semelhantemente, outros podem ser con­firmados antes de batizados.

3. Demais. — A Escritura diz: Estando Pedro ainda proferindo estas palavras, desceu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a pa­lavra e os ouviam falar diversas línguas. E de­pois Pedro mandou batizá-los. Logo, por igual razão, podem os demais ser confirmados antes de batizados.

Mas, em contrário, Rabano diz: Em último lugar, pela imposição das mãos do sumo sacer­dote, o batizado recebe o Paráclito, a fim de ser fortificado pelo Espírito Santo, para pregar a fé.

SOLUÇÃO. — O caráter da confirmação necessàriamente supõe o batismal. De modo que o não-batizado que fosse confirmado nada recebe­ria, mas seria necessário de novo receber a con­firmação, depois de batizado. E a razão é que a confirmação está para o batismo como o cres­cimento para a geração, conforme do sobredito resulta. Ora, é manifesto que ninguém pode atingir a idade perfeita antes de nascido. E semelhantemente, quem não for primeiro bati­zado não pode receber a confirmação.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. — ­A virtude divina não está adstrita aos sacra­mentos. E por isso pode nos conferir a força espiritual para confessar publicamente a fé de Cristo sem o sacramento da confirmação; assim como também podemos alcançar a remissão dos pecados sem batismo. Contudo, assim como ninguém alcança o efeito do batismo sem o de­sejo deste, assim ninguém consegue o efeito da confirmação sem a desejar, o que se pode dar antes da recepção do batismo.

RESPOSTA À SEGUNDA. — Como diz Agostinho, pelo dito do Senhor – Aquele que está lavado não tem necessidade de lavar senão os pés, entendemos que Pedro e os outros discípulos de Cristo foram batizados, quer pelo batismo de João, como alguns pensam, e quer, como é mais crível, pelo batismo de Cristo. Pois, nem recusou o ministério de batizar, a fim de ter servos pelos quais batizasse os outros.

RESPOSTA À TERCEIRA. — Os ouvintes da pre­gação de Pedro receberam o efeito da confirma­ção milagrosamente, mas não o sacramento da confirmação. Pois como dissemos, o efeito da confirmação nos pode ser conferido antes do ba­tismo; não porem o sacramento da confirma­ção. Porque assim como o efeito da confirma­ção, que é a robustez espiritual, pressupõe o efeito do batismo, que é a justificação, assim o sacramento da confirmação pressupõe o sacra­mento do batismo.