Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 3 — Se o sacramento não é sinal senão de uma só coisa.

O terceiro discute-se assim. Parece que o sacramento não é sinal senão de uma só coisa.

1. Pois, o que significa muitas coisas é um sinal ambíguo e, por consequência, ocasião de engano; tais os nomes equívocos. Ora, nenhuma falácia pode se atribuir à religião cristã, segundo aquilo do Apóstolo: Estai sobre aviso para que ninguém vos engane com filosofias e com os seus falaces sofismas. Logo, parece que o sacra­mento não é sinal de várias coisas.

2. Demais. — Como se disse, o sacramento significa uma coisa sagrada enquanto causa de santificação humana. Ora, uma só é a causa da santificação humana, a saber, o sangue de Cristo, segundo aquilo do Apóstolo: Jesus, para que santificasse ao povo pelo seu sangue, pade­ceu fora da porta. Logo, parece que o sacra­mento não significa várias coisas.

3. Demais. — Como se disse, o sacramento significa propriamente o fim mesmo da santifi­cação. Ora, o fim da santificação é a vida eter­na, segundo o Apóstolo: Tendes o vosso fruto em santificação e por fim a vida eterna. Logo, parece que o sacramento não significa senão uma só coisa, isto é, a vida eterna.

Mas, em contrário, o sacramento do Altar tem dupla significação — o corpo de Cristo verdadeiro e místico, como diz Agostinho.

SOLUÇÃO. — Como dissemos, o sacramento propriamente se chama o que se ordena a signi­ficar a nossa santificação. Na qual podemos dis­tinguir tríplice elemento: a causa mesma da nossa santificação que é a Paixão de Cristo; a forma da nossa santificação, que consiste na graça e nas virtudes; e o fim último da nossa santificação, que é a vida eterna. E tudo isto os sacramentos o significam. Por isso o sacra­mento é: o sinal rememorativo do que passou, isto é, da Paixão de Cristo; e demonstrativo do que em nós obra a Paixão de Cristo, isto é, da graça; e prognóstico, isto é, prenunciativo da futura glória.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. ­O sinal ambíguo é ocasião de engano, quando significa muitas coisas, das quais uma não se ordena à outra. Mas, quando significa muitas mas de modo que constituam de certo modo uma unidade, então o sinal não é ambíguo, mas certo. Assim, a palavra homem significa a alma e o corpo, enquanto constitutivos da natureza hu­mana. E, dest’arte, o sacramento tem a tríplice significação deferida, enquanto há aí a unidade, numa certa ordem.

RESPOSTA À SEGUNDA. — O sacramento, en­quanto significativo da coisa santificante, há de necessariamente significar o efeito, compreendi­do da causa mesma santificante, como tal.

RESPOSTA À TERCEIRA. — O sacramento, na sua noção, baste que signifique a perfeição, co­mo, forma; nem é necessário signifique só a perfeição, como fim.