Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 5 ─ Se o episcopado é uma ordem.

O quinto discute-se assim. ─ Parece que o episcopado é uma ordem.

1. ─ Primeiro, porque Dionísio distingue as três ordens seguintes da hierarquia eclesiástica: a do bispo, do sacerdote e do ministro. E a letra do Mestre também diz que a ordem episcopal é quadripartita.

2. Demais. ─ A ordem não é senão um certo grau de poder de dispensar os bens espirituais. Ora. os bispos podem dispensar certos sacramentos, que os sacerdotes não podem, como o da confirmação e o da ordem. Logo, o episcopado é uma ordem.

3. Demais. ─ Na Igreja não há nenhum poder espiritual além do da ordem e da jurisdição. Ora, as funções do poder episcopal não são jurisdicionais, do contrário poderiam ser cometidas a um não bispo, o que é falso. Logo, são funções da ordem. Portanto. o bispo tem uma ordem que o simples sacerdote não tem. Por onde o episcopado é uma ordem.

Mas, em contrário, uma ordem não depende da precedente, para o sacramento valer. Ora, o poder episcopal depende do sacerdotal, porque ninguém pode receber aquele sem ter primeiro recebido este. Logo, o episcopado não é uma ordem.

2. Demais. ─ As ordens maiores não se conferem a não ser aos sábados. Mas o poder episcopal se transfere aos domingos, como estabelece uma Decretal. Logo, não é uma ordem.

SOLUÇÃO. ─ A ordem é susceptível de dupla acepção. ─ Primeiro, como sacramento. E então, como dissemos, toda ordem se destina ao sacramento da Eucaristia. Por onde, não tendo, por si, o bispo um poder superior ao do sacerdote, ordem não será o episcopado. ─ A outra luz, a ordem pode ser considerada, enquanto um ofício ao qual incumbem certas funções sacras. E assim, lendo o bispo Um poder hierárquico, superior ao do sacerdote, sobre o corpo místico de Cristo. O episcopado será uma ordem. Ora, é este o sentido das autoridades aduzidas. Donde se deduz a resposta à primeira objeção.

RESPOSTA À SEGUNDA. ─ A ordem enquanto sacramento, que imprime caráter, se destina especialmente ao sacramento da Eucaristia, que contém ao próprio Cristo; pois, pelo caráter nos configuramos com Cristo mesmo. Portanto, embora ao bispo, quando é promovido ao episcopado, seja dado um certo poder espiritual em relação aos outros sacramentos, esse poder entretanto não chega a imprimir caráter. Por onde, o episcopado não é uma ordem, tomando-se a ordem como um dos sacramentos.

RESPOSTA À TERCEIRA. ─ O poder episcopal não é somente jurisdicional; mas também um poder de ordem, tomada esta no sentido geral.