Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 6 — Se deve ser misturada a água com o vinho.

O sexto discute-se assim. — Parece que a água não deve ser misturada com o vinho.

1. — Pois, o sacrifício de Cristo foi significa­do pela oblação de Melquisedeque, de quem não diz a Escritura que oferecesse outra coisa senão pão e vinho. Logo, parece que neste sacramento não se deve acrescentar a água.

2. Demais. — Sacramentos diversos têm matérias diversas. Ora, a água é a matéria do batismo. Logo, não deve ser tomada como a des­te sacramento.

3. Demais. — O pão e o vinho são a matéria deste sacramento. Ora, ao pão nada se acrescenta. Logo, nem ao vinho se deve acrescentar nada.

Mas, em contrário, Alexandre Papa (I) determina: Nas oblações dos sacramentos que na solenidade da missa, se ofereçam ao Senhor, ofe­reçam-se no sacrifício somente pão e vinho mis­turado com água.

SOLUÇÃO. — O vinho oferecido neste sacramento deve ser misturado com água. – Primeiro, por causa da instituição. Pois, crê-se com proba­bilidade que o senhor instituiu este sacramento tomando vinho misturado com água, conforme ao costume da sua terra. Donde o dizer a Escritura: Bebei o vinho que vos preparei. – segundo, por assim convir à representação da paixão do se­nhor. Por isso dispõe Alexandre Papa: Não deve no cálice do Senhor, ser oferecido vinho só nem só água, mas ambos misturados; vais, como lemos no Evangelho, ambos conservam do lado de Cristo, na sua paixão. – Terceiro, porque assim convém para significar o efeito deste sacramento que é a união do povo crístão com Cristo. Pois, como diz Júlio Papa, vemos que pela água se entende o povo, e pelo vinho, o sangue de Cristo. Por isso, quando no cálice se mistura a água com o vinho, o povo se aduna com Cristo. ­Quarto porque tal convém ao efeito último des­te sacramento, que é a entrada na vida eterna. Por isso, diz Ambrósio: A água redunda no cálice e jorra em vida eterna.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. — ­Como diz Ambrósio no mesmo lugar, assim como o sacrifício de Cristo foi significado pela oblação de Melquisedeque, assim também o foi pela água, que no deserto jorrou da pedra, segundo aqui­lo do Apóstolo: E todos bebiam da pedra miste­riosa que os seguia.

RESPOSTA À SEGUNDA. — A água é tomada no batismo para o uso da ablução. Ao passo que nes­te sacramento ela serve para a refeição espiritual, segundo aquilo da Escritura: ele me conduziu junto a uma água de refeição.

RESPOSTA À TERCEIRA. — O pão é confecciona­do de água e de farinha. E portanto, sendo a água é misturada com o vinho tanto deste como do pão faz ela parte.