Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 12 ─ Se a auréola das virgens é a mais excelente de todas.

O duodécimo discute-se assim. ─ Parece que a auréola das virgens é a mais excelente de todas.

1. ─ Pois, o Apocalipse diz, que as virgens seguem o Cordeiro para onde quer que ele vá; e que ninguém mais podia cantar o cântico que as virgens cantavam. Logo, as virgens terão uma auréola mais excelente.

2. Demais. ─ Cipriano diz que as virgens são a porção mais ilustre da grei de Cristo. Logo, é-lhes devida maior auréola.

3. Ainda. ─ Parece que a mais excelente é a auréola dos mártires. Assim, diz Haymo: Nem todas as virgens terão procedência sobre as casadas; mais só e em especial aquelas que a um tempo sofreram os suplícios do martírio e guardaram a virgindade, equiparando-se assim aos mártires. Logo, o martírio é que dá à virgindade preeminência sobre os outros estados. Portanto, é devida ao martírio uma auréola mais excelente.

4. Ainda. ─ Parece que a auréola mais excelente é a devida aos doutores. Porque a Igreja militante tem o seu modelo na triunfante. Ora, na Igreja militante a honra máxima é a devida aos doutores, segundo aquilo do Apóstolo: Os presbíteros que governam bem sejam honrados com estipêndio dobrado, principalmente os que trabalham em pregar e ensinar, Logo, os doutores é que terão na Igreja triunfante a auréola mais excelente.

SOLUÇÃO. ─ A preeminência de uma sobre outra auréola pode ser considerada à dupla luz. ─ Primeiro, em relação ao combate; sendo então a auréola mais excelente a devida a um combate mais violento. E, a esta luz, a auréola dos mártires de certo modo é mais excelente que as outras; e de certo modo, a das virgens. Pois, o combate dos mártires, em si mesmo considerado, é mais violento e causa sofrimentos mais veementes. Ao passo que o combate contra a carne é mais perigoso, por ser mais diuturno e mais íntimo o inimigo a combater. ─ Segundo, quanto ao objeto do combate. ─ E a esta luz, a auréola dos doutores é de todas a mais excelente. Porque os combates que travam versam sobre os bens inteligíveis, ao passo que os outros, sobre as paixões sensíveis. ─ Aquela excelência porém fundada no combate mesmo, é mais essencial a auréola, que, na sua noção própria, respeita a vitória e a luta. ─ A dificuldade, porém, oriunda da luta como tal, é maior que a que nasce de nós mesmos, de um inimigo mais íntimo. Por isso, absolutamente falando, a auréola dos mártires tem excelência sobre as outras. Por isso diz a Glosa a um lugar do Evangelho, que a oitava bem-aventurança, atinente aos mártires, ─ bem-aventurados os que sofrem perseguição ─ conduz outras todas à perfeição. E também por isso a Igreja, na lista dos santos mártires, dá-lhes a preeminência sobre os doutores e as virgens. ─ Mas, num ponto de vista relativo, nada impede sejam as outras auréolas mais excelentes.

Donde se deduzem as respostas às objeções.