Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 13 ─ Se um pode ter a auréola da virgindade, do martírio ou de doutor, de modo mais excelente que outro.

O décimo terceiro discute-se assim. ─ Parece que um não pode ter a auréola da virgindade, do martírio ou de doutor, de modo mais excelente que outro.

1. ─ Pois, as cousas chegadas ao termo não são susceptíveis de maior intensidade nem de remissão. Ora, a auréola é devida às obras chegadas ao termo da perfeição. Logo, não são susceptíveis de maior intensidade nem de remissão.

2. Demais. ─ A virgindade não é susceptível de mais nem de menos, pois, importa uma privação e as privações e as negações não são susceptíveis de maior intensidade nem de remissão. Logo, susceptível de aumento e de diminuição também não é a auréola das virgens, prêmio da virgindade.

Mas, em contrário. ─ A auréola superpõe-se à coroa de ouro. Ora, a coroa de ouro é mais excelente em um que em outro. Logo, também a auréola.

SOLUÇÃO. ─ Sendo o mérito de certo modo a causa do prêmio, hão de diversificar-se eles com a diversidade dos méritos. Pois, todo efeito sofre alteração na sua intensidade e na sua remissão conforme sofre a intensidade e a remissão da sua causa. Ora, o mérito da auréola pode ser maior e menor. Portanto, também maior e menor pode ser a auréola. ─ Não devemos porém esquecer que o mérito da auréola pode ser considerado à dupla luz: na sua raiz e em relação à obra. Pois, pode se dar que um, mais que outro, sofra, com tormentos maiores no martírio, ou inste mais na predicação, ou se prive mais dos prazeres da carne, mas tudo com menor caridade. Por onde, a intensidade do mérito, fundado na sua raiz, não corresponde a uma intensidade maior na auréola, mas na coroa de ouro. A intensidade do mérito, porém, derivada do gênero do ato, corresponde a intensidade da auréola. E assim pode um, que menos mereceu no martírio, quanto ao prêmio essencial, receba por esse martírio uma auréola maior.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. ─ Os méritos a que são devidas as auréolas, não chegaram ao termo da perfeição, absolutamente falando, mas só especificamente considerados; assim o fogo é, na sua espécie, o subtilíssimo dos corpos. Por onde, nada impede uma auréola ser mais excelente que outra, assim como um fogo mais subtíl que outro.

RESPOSTA À SEGUNDA. ─ Uma virgindade pode ser mais excelente que outra, por mais coitar o obstáculo à virgindade; dizemos então que tem mais excelente virgindade a virgem que mais se acautelou contra as ocasiões de a perder. Neste sentido, pois, as privações podem ser susceptíveis de maior intensidade; assim, dizemos que é mais cego o homem que mais profunda privação da vista sofreu.