Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 9 ─ Se os anjos devem ter auréola.

O nono discute-se assim. ─ Parece que os anjos devem ter auréola.

1. ─ Pois, diz Jerônimo, referindo-se à virgindade: Viver na carne, mas separado dela, é viver uma vida antes angélica que humana. E a um lugar do Apóstolo diz a Glosa que a virgindade é uma como porção angélica. Logo, como à virgindade corresponde a auréola, parece que os anjos a devem ter.

2. Demais. ─ Mais nobre é a integridade do espírito que a do corpo. Ora, os anjos, não tendo pecado nunca, tem a integridade do espírito. Logo, mais a eles lhes é devida a auréola, que aos íntegros na carne, mas que pecaram.

3. Demais. ─ À doutrina é devida a auréola. Ora, os anjos nos ensinam, purificando, iluminando e aperfeiçoando, como diz Dionísio. Logo, é-lhes devida pelo menos a auréola dos doutores.

Mas, em contrário. ─ Diz o Apóstolo: Não será coroado senão quem combater conforme à lei. Ora, os anjos não sustentam nenhum combate. Logo, não lhes é devida a auréola.

2. Demais. ─ A auréola não é devida a um ato exercido sem a cooperação do corpo; por isso os que apenas amam a virgindade, o martírio e a doutrina, se não o praticarem por atos externos, não merecem a auréola. Ora, os anjos são espíritos incorpóreos. Logo, não tem auréola.

SOLUÇÃO. ─ Aos anjos não é devida auréola. E a razão é que a auréola corresponde propriamente a uma perfeição de mérito excelente. Ora, o que para nós constitui perfeição meritória é conatural aos anjos; ou lhes concerne ao estado comum deles ou lhes está incluído no prêmio essencial. E assim, pela mesma razão por que aos homens é devida a auréola, os anjos não na tem.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. ─ Quando se diz que a virgindade é uma vida angélica, significa isso que as virgens imitam por graça o que os homens tem por natureza. Assim, não é uma virtude para os anjos se absterem de todo dos prazeres carnais, de que não são susceptíveis.

RESPOSTA À SEGUNDA. ─ A integridade perpétua de espírito nos anjos merece o prêmio essencial. Pois, é-lhes de necessidade para a salvação, a eles que não podem reparar a queda.

RESPOSTA À TERCEIRA. ─ Esses atos pelos quais os anjos nos ensinam fazem-lhes parte da glória e do estado com um. Por isso, mediante esses atos não merecem a auréola.