Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 9 ─ Se os condenados vêem a glória dos bem-aventurados.

O nono discute-se assim. ─ Parece que os condenados não vêem a glória dos bem-aventurados.

1. ─ Pois, mais dista deles a glória dos bem-aventurados que as cousas que se passam neste mundo. Por isso, aquilo de Job ─ Ou os seus filhos estejam exaltados, etc., diz Gregório: Assim como os que vivem ainda neste mundo ignoram o lugar onde estão as almas dos mortos, assim os mortos, que viveram neste mundo, não sabem o que passa com os que nele deixaram. Logo e com muito maior razão, não podem ver a glória dos bem-aventurados.

2. Demais. ─ O que é concedido, como um grande dom aos santos nesta vida, nunca será concedido aos condenados. Mas a Paulo foi concedido como um grande dom ver a vida que os santos vivem eternamente com Deus, como diz a Glosa a um lugar das suas epístolas. Logo, os condenados não verão a glória dos santos.

Mas, em contrário, o Evangelho: Quando o rico estava nos tormentos viu a Abraão e Lázaro no seu seio.

SOLUÇÃO. ─ Os condenados, antes do dia de juízo, verão a glória dos bem-aventurados. Não que a conheçam tal qual é; mas por apenas saberem que gozam de uma glória incomparável. E com isso se perturbarão, quer pela inveja, que os faz sofrer com a felicidade dos santos; quer também por terem, eles, perdido essa glória. Donde o dizer a Escritura, dos ímpios: Vendo-os assim perturbar-se-ão com temor horrível. Mas depois do dia de juízo ficarão totalmente privados da visão dos bem-aventurados . Mas isso, longe de lhes diminuir, há de aumentar-lhes a pena. Porque terão na memória a glória dos bem-aventurados, que viram no juízo, ou antes dele, o que lhes redundará em tormentos. E ainda mais supliciados ficarão vendo-se julgados indignos mesmo de ver a glória que os santos merecem possuir.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. ─ As cousas que se passam neste mundo se as vissem os condenados não os afligiriam tanto como a visão da glória dos santos. Por isso não lhes são essas cousas reveladas, como o é a glória dos santos. Embora lhes seja dado conhecimento, das cousas desta vida, aquelas que lhes podem, aumentar os suplícios.

RESPOSTA À SEGUNDA. ─ Paulo teve conhecimento da vida que os santos vivem com Deus, experimentando-a e esperando mais perfeitamente na vida futura. O que não se dá com os condenados. Logo, o símil não colhe.