Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Questão 109: Da necessidade da graça.

Em seguida devemos tratar do princípio exterior dos atos humanos, i. é Deus, enquanto, com a sua graça, nos ajuda a proceder retamente. E primeiro, devemos tratar da graça de Deus. Segundo, da sua causa. Terceiro, dos seus efeitos.

O primeiro tratado será tripartido. Assim, primeiro, trataremos da necessidade da graça. Segundo, da graça, quanto à sua essência mesma. Terceiro, da sua divisão.

Na primeira questão discutem-se dez artigos:

Art. 1 — Se sem a graça o homem pode conhecer a verdade.
Art. 2 — Se o homem pode querer e fazer o bem sem a graça.
Art. 3 — Se o homem pode amar a Deus sobre todas as coisas, só pelas suas faculdades naturais, sem o auxílio da graça.
Art. 4 — Se o homem, sem a graça, só pelas suas faculdades naturais, pode cumprir os preceitos da lei.
Art. 5 — Se o homem pode merecer a vida eterna, sem a graça.
Art. 6 — Se o homem pode preparar-se a si mesmo para a graça, sem o auxílio externo da mesma.
Art. 7 — Se o homem pode ressurgir do pecado sem o auxílio da graça.
Art. 8 — Se o homem pode, sem a graça, não pecar.
Art. 9 — Se quem já conseguiu a graça pode, por si mesmo, praticar o bem e evitar o pecado, sem outro auxílio da mesma.
Art. 10 — Se o homem, constituído na graça, precisa do auxílio da mesma para perseverar.