Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 4 – Se a mulher foi formada imediatamente por Deus.

O quarto discute–se assim. – Parece que a mulher não foi formada imediatamente por Deus.

1. – Pois nenhum indivíduo produzido pelo seu semelhante, especificamente, é feito imediatamente por Deus. Ora, a mulher foi feita do homem, que é da mesma espécie que ela. Logo, não foi feita imediatamente por Deus.

2. Demais. – Agostinho diz que os seres corpóreos são feitos por Deus, por intermédio dos anjos. Ora, o corpo da mulher é formado de matéria corpórea. Logo, foi feito pelo ministério dos anjos e não imediatamente, por Deus.

3. Demais. – As criaturas que preexistiam, pelas razões causais, são produzidas em virtude de alguma criatura e não, imediatamente, por Deus. Ora, o corpo da mulher foi produzido, segundo as razões causais, nas primeiras obras, como diz Agostinho. Logo, a mulher não foi produzida imediatamente por Deus.

Mas, em contrário, diz Agostinho: Só Deus, por quem subsiste toda a natureza, podia formar ou produzir a costela, para que a mulher existisse.

SOLUÇÃO. – Como já se disse antes, a geração natural de cada espécie é mediante uma determinada matéria. Ora, a matéria da qual naturalmente é gerado o homem é o sémen humano, do homem ou da mulher. Por onde, de qualquer outra matéria um indivíduo da espécie humana não pode ser naturalmente gerado. Ora, só Deus, instituidor da natureza, pode, fora da ordem desta, dar o ser às coisas. E portanto só ele podia formar tanto o homem, do limo da terra, como a mulher, da costela do homem.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. – A objeção procede quando um indivíduo é gerado do especificamente semelhante, por geração natural.

RESPOSTA À SEGUNDA. – Como diz Agostinho, não sabemos se os anjos prestaram o seu ministério a Deus, na formação da mulher; todavia, é certo que, assim como o corpo do homem não foi formado do limo da terra, pelos anjos, assim também nem o corpo da mulher, da costela de Adão, foi formado por eles.

RESPOSTA À TERCEIRA. – Como diz Agostinho, no mesmo livro, na condição primeira das causas não estava que a mulher, absolutamente, fosse assim feita; mas estava, que pudesse sê–Ia. E logo, nas suas razões causais, o corpo da mulher preexistia, nas primeiras obras, não pela potência ativa, mas só pela passiva, em ordem à potência ativa do Criador.