Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Ato de resignação para a morte

Postado em 29-01-2019

Soberano Senhor da vida e da morte; ó Deus, que, por um decreto imutável e para castigar o pecado, decretastes que todos os homens hão de morrer, aqui me tendes prostrado humildemente na vossa presença, resignado a sujeitar-me a esta lei e vossa justiça. Deploro na amargura da minha alma todos os pecados que tenho cometido. Pecador rebelde, tenho merecido mil vezes a morte; aceito-a em expiação de tantos pecados: aceito-a por obediência à vossa adorável vontade; aceito-a em união com a morte de meu Salvador. Morra eu pois, ó meu Deus, quando, onde, e como vos aprouver ordená-lo. Quero aproveitar o tempo que a vossa misericórdia se digna ainda conceder-me, para desapegar-me deste mundo, onde não tenho já senão alguns instantes de vida, para romper todos os laços que me prendem a esta terra de exílio, e para preparar a minha alma para os vossos tremendos juízos. Entrego-me sem reserva nas mãos de vossa Providência sempre paternal. Seja feita a vossa vontade em tudo e sempre. Assim Seja.

Oração para implorar a graça de uma boa morte

Prostrado diante do trono de vossa adorável Majestade, venho suplicar-vos, ó meu Deus, a última e a mais importante de todas as graças, a graça de uma boa morte! Por pior que seja o uso, que tenha feito da vida que me destes, concedei-me a graça de a acabar, morrendo no vosso amor.
Que eu morra como os santos patriarcas, deixando sem repugnância este vale de lágrimas, para ir gozar do eterno descanso na minha verdadeira pátria!
Que eu morra como o bem-aventurado São José, nos braços de Jesus e de Maria, repetindo estes doces nomes, que espero bendizer durante toda a eternidade!
Que eu morra como a Santíssima Virgem, abrasado no amor mais puro, ardendo em desejos de me unir ao único objeto de todos os meus afetos!
Que eu morra como Jesus na Cruz, cheio do mais vivo ódio ao pecado, de amor ao meu Pai do Céu, e de resignação no meio dos sofrimentos.
Pai Santo, entrego a minha alma nas vossas mãos; tende misericórdia de mim.
Jesus, que morrestes por meu amor, concedei-me a graça de morrer no vosso amor.
Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por mim, pecador, agora e na hora da minha morte.
Anjo do Céu, fiel guarda da minha alma, e vós, Santos que Deus me deu por protetores, não me desampareis na hora da minha morte.
São José, alcançai-me o maior, o mais precioso de todos os favores, o de morrer a morte dos justos.
Assim seja.
Moriatur anima mea morte iustorum.

Apud Chaignon