Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 4 — Se as referidas potências — a geratriz, a potência concupiscível e o sentido do tacto, foram mais contaminadas que as outras.

(II Sent., dist., XXXI, q. 2, a. 2: De Verit., q. 25; a. 6; De Malo, q. 4, a. 2, ad 12; a. 5, ad 1).

O quarto discute-se assim. — Parece que as referidas potências não foram mais contamina­das que as outras.

1. — Pois, parece que o contágio do pecado original há de ter atingido sobretudo aquela parte da alma susceptível de ser o sujeito pri­mário do pecado. Ora, esta é a parte racional, e sobretudo à vontade. Logo, esta foi sobretudo à contaminada pelo pecado original.

2. Demais. — Nenhuma potência da alma é contaminada pela culpa, senão enquanto pode obedecer à razão. Ora, a potência geratriz não o pode, como o diz Aristóteles. Logo, não foi sobretudo essa a potência contaminada pelo pecado original.

3. Demais. — Dentre os sentidos é o da visão o mais espiritual e achegado à razão, por distinguir mais diferenças entre as coisas, como diz Aristóteles. Ora, o contágio da culpa atin­giu principalmente a razão. Logo, o sentido da visão foi mais contaminado que o tato.

Mas, em contrário, Agostinho diz, que o con­tágio da culpa original manifestou-se sobretudo no movimento dos membros genitais, desobedientes à razão. Ora, esses membros servem à potência geratriz, no comércio sexual, onde o prazer depende do tato, que excita sobretudo a concupiscência. Logo, o contágio do pecado original atingiu sobretudo estas três potências: a geratriz, a concupiscível e o sentido do tacto.

SOLUÇÃO. — Costuma-se chamar contami­nação sobretudo aquela corrupção que natural­mente se transmite a outrem; por isso as doen­ças contagiosas, como a lepra, a sarna e seme­lhantes, chamam-se contaminações. Ora, a corrupção do pecado original se transmite pelo ato da geração, como já se disse. Por onde, consi­deram-se sobretudo como contaminadas as po­tências concorrentes nesse ato. Ora, tal ato serve à potência geratriz, como ordenado para a geração; e implica o prazer do tacto, objeto por excelência da potência concupiscível. E portanto, como se consideram corruptas pelo pecado original todas as partes da alma, corruptas principalmente e contaminadas se conside­ram as três referidas potências.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. — O pecado original, enquanto inclina para os pe­cados atuais, atingiu principalmente a vontade, como já se disse. Mas enquanto se transmite à prole, atingiu as faculdades preditas, proximamente, e a vontade, remotamente.

RESPOSTA À SEGUNDA. — A contaminação da culpa atual só atinge as potências movidas pela vontade do pecador. Ora, a contaminação da culpa original derivou não, da vontade da­quele que a contraiu, mas, da geração natural, à qual serve a potência geratriz. Logo, há nela a contaminação do pecado original.

RESPOSTA À TERCEIRA. — A visão não con­cerne ao ato gerador senão como disposição remota, enquanto que, por ela, se manifesta a forma concupiscíve1. Ao passo que o prazer se completa pelo tacto. Por isso o contágio em questão se atribui mais ao tacto que à vista.