Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 1 – Se a matéria da luxúria são apenas as concupiscências e os prazeres venéreos.

O primeiro discute–se assim. – Parece que a matéria da luxúria não são apenas as concupiscências e os prazeres venéreos.

1. – Pois, diz Agostinho, que à luxúria apraz­lhe chamar–se saciedade e abundância. Ora, a saciedade diz respeito à comida e à bebida; e a abundância, às riquezas. Logo, a luxúria não respeita propriamente às concupiscências e aos prazeres venéreos.

2, Demais. – A Escritura diz: O vinho é uma coisa luxuriosa. Ora, o vinho é matéria incluída no prazer de comer e de beber. Logo, a matéria da luxúria são, sobretudo esses prazeres.

3. Demais. – A luxúria consiste no desejo do prazer sensual. Ora, o prazer sensual não é constituído só pelos prazeres venéreos, mas por muitos outros. Logo, a matéria da luxúria não são apenas as concupiscências e os prazeres venéreos.

Mas, em contrário: Foi dito aos luxuriosos, que quem semeia na carne colhe a corrupção da carne. Ora, o semear da carne é pelos prazeres venéreos. Logo, estes são o objeto deles.

SOLUÇÃO. – Como diz Isidoro, chama–se luxurioso quem por assim dizer se dissolve nos prazeres. Ora, os prazeres venéreos são os que mais dissolvem a alma do homem. Logo, a luxúria é considerada como tendo por objeto, sobretudo os prazeres venéreos.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. – Como a temperança versa principal e propriamente sobre os prazeres do tato, mas, por consequência e por semelhança também versa sobre outras matérias; assim também a luxúria tem como objeto principal os prazeres veneremos, que máxima e precipuamente tornam dissoluta a alma da homem; mas, secundariamente, versa sobre certos outros excessos. Por isso, diz a Glosa, que a luxúria é um certo excesso.

RESPOSTA À SEGUNDA. – O vinho é considerado uma causa luxuriosa, ou no sentido em que, em qualquer matéria, a abundância conduz à luxúria; ou porque o uso excessivo do vinho dá incentivo ao prazer venéreo.

RESPOSTA A TERCEIRA. – Embora o prazer sensual também o seja, em relação a outras matérias, contudo esse nome, sobretudo se aplica aos prazeres venéreos, aos quais se refere uma sensualidade especial, como diz Agostinho.