Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 4 – Se Moisés foi o mais excelente dos profetas.

O quarto discute–se assim. – Parece que Moisés não foi o mais excelente dos profetas.

1. – Pois, diz a Glosa no princípio do Saltério, que Davi é chamado o profeta por excelência. Logo, Moisés não foi o mais excelente de todos.

2. Demais. – Maiores milagres foram realizados por Josué, que fez parar o sol e a lua, e por Isaías, que fez retroceder o sol, como tudo se lê na Escritura, do que por Moisés, que dividiu o mar Roxo. E também por Elias, do qual dizem as Sagradas Letras: Quem se pode igualmente gloriar como tu, que fizeste sair um morto dos infernos? Logo, Moisés não foi o excelentíssimo dos profetas.

3. Demais. – O Evangelho diz, que entre os nascidos de mulheres não se levantou outro maior que João Batista. Logo, Moisés não foi o mais excelente de todos os profetas.

Mas, em contrário, a Escritura: Não se levantou mais em Israel profeta algum como Moisés.

SOLUÇÃO. – Embora, sob certos aspectos, houvesse profetas maiores que Moisés, em absoluto porém, Moisés foi o maior de todos. Pois, na profecia, como do sobre dito resulta, consideram–se: o conhecimento, tanto segundo a visão intelectual, como segundo a visão imaginária; o anúncio e a confirmação por meio de milagres.

Ora, Moisés foi mais excelente que os outros, primeiro, pela visão intelectual, pois, viu a própria essência divina, como Paulo no rapto, segundo o ensino de Agostinho. Por isso, diz a Escritura: Ele vê o Senhor claramente e não debaixo de enigmas.

Segundo, pela visão imaginária, que tinha quase à sua vontade, não somente ouvindo as palavras de Deus, mas ainda vendo–o falar, mesmo sob figura divina; e não só dormindo mas também acordado. Donde o dizer da Escritura: O Senhor lhe falava cara a cara, bem como um homem costuma falar ao seu amigo.

Terceiro, quanto ao seu anunciar, porque falava a todo o povo dos fiéis, em nome de Deus, quase propondo uma nova lei; ao passo que os outros profetas falavam ao povo em nome de Deus, quase induzindo a observar a lei de Moisés, como se lê na Escritura: Lembrai–vos da lei de Moisés, meu servo.

Quarto, quanto à operação dos milagres, que fez a todo o povo dos infiéis. Donde o dizer a Escritura: Não se levantou mais em Israel profeta algum como Moisés, com quem o Senhor tratasse cara a cara; nem semelhante em sinais e portentos, como os que em virtude da sua missão fez na terra do Egito, a Faraó e a todos os seus servos e a todo o seu reino.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. – A profecia de Davi se aproximou da visão de Moisés, quanto à visão intelectual, pois, ambos receberam a revelação da verdade inteligível e sobrenatural, sem a visão imaginária. Contudo, a visão de Moisés foi mais excelente, quanto ao conhecimento da divindade; ao passo que Davi mais plenamente conheceu e exprimiu os mistérios da encarnação de Cristo.

RESPOSTA À SEGUNDA. – Os prodígios referidos desses profetas foram maiores quanto à substância do feito; mas, os milagres de Moisés foram maiores, quanto ao modo de os fazer, pois, foram feitos para todo o povo.

RESPOSTA À TERCEIRA. – João pertence ao Novo Testamento, cujos ministros são superiores ao próprio Moisés, como tendo um conhecimento maior da verdade revelada, segundo o Apóstolo.