Capela Santa Maria das Vitórias

Missa no rito romano tradicional em Anápolis

Art. 2 — Se estar sentado à direita do Padre convém a Cristo enquanto Deus.

O segundo discute-se assim. — Parece que estar sentado à direita do Padre não convém a Cristo enquanto Deus.

1. — Pois Cristo, enquanto Deus é à direita do Padre. Ora, ser a direita de alguém e estar-lhe sentado à direita não é o mesmo. Logo, Cristo, enquanto Deus, não está sentado à direita do Padre.

2. Demais. — O Evangelho diz: O Senhor Jesus foi assunto ao céu onde está sentado à mão direita de Deus. Ora, Cristo não foi assunto do céu enquanto Deus. Logo, também não é como Deus que está sentado à direita de Deus.

3. Demais. — Cristo, enquanto Deus é igual ao Padre e ao Espírito Santo. Logo, se Cristo, enquanto Deus, está sentado à direita do Padre, pela mesma razão o Espírito Santo estará sentado à direita do Pai e do Filho; e o próprio Pai, à direita do Filho. O que não se lê em nenhum lugar da Escritura.

Mas, em contrário, diz Damasceno: Chamamos direita do Padre à glória e às honras da divindade, onde o Filho de Deus tem o seu lugar antes de todos os séculos como Deus e consubstancial com o Pai.

SOLUÇÃO. — Como do sobredito se colige, ao vocábulo — direita — podemos atribuir três sentidos: primeiro, conforme Damasceno, a glória da divindade; segundo, de acordo com Agostinho, a beatitude do Padre; terceiro, ainda de acordo com o mesmo, o poder judiciário. Ora, o fato de estar sentado, como se disse, designa uma habitação, ou uma dignidade régia ou judiciária. Por onde, estar sentado à direita do Padre outra causa não é senão participar simultaneamente com ele da glória da divindade, da beatitude e do poder judiciário, e isso de modo imutável e como rei. Ora, isso convém ao Filho enquanto Deus. Por onde, é manifesto que Cristo, enquanto Deus, está sentado àdireita do Padre: contanto que a preposição a, (ad) que é transitiva, signifique a ordem da origem, e não o grau de natureza ou de dignidade, que nenhum existe nas Pessoas divinas, como estabelecemos na Primeira Parte.

DONDE A RESPOSTA À PRIMEIRA OBJEÇÃO. — O Filho de Deus é chamado a direita do Padre em sentido próprio, do mesmo modo por que também é chamado a virtude do Pai. Ora, a direita do Padre, nas três significações supra-referidas, é algo de comum às três Pessoas.

RESPOSTA À SEGUNDA. — Cristo, enquanto homem foi assunto à honra divina, que supõe o fato de estar sentado àdireita do Padre. Contudo, essa honra convém por disposição divina, a Cristo enquanto Deus, não em virtude de qualquer assunção, mas pela origem eterna.

RESPOSTA À TERCEIRA. — De nenhum modo podemos dizer que o Padre está sentado àdireita do Filho ou do Espírito Santo; porque o Filho e o Espírito Santo tiram a sua origem do Pai e não inversamente. Mas o Espírito Santo podemos propriamente dizer, que está sentado à direita do Pai ou do Filho, no sentido referido; embora por uma certa apropriação o estar sentado seja atribuído ao Filho, de quem é próprio a igualdade; porque, como dizAgostinho, ao Padre é própria a unidade, ao Filho a igualdade e ao Espírito Santo a conexão entre a unidade e a igualdade.